Cidades gaúchas promovem educação por meio do pensamento computacional
Municípios que participam do Letramento em Programação relatam o impacto do programa na educação integral

Mais de 7.000 estudantes gaúchos participam do Núcleo RS do Letramento em Programação (LetProg) - parceria entre o Instituto Ayrton Senna, apoiado pelo Instituto JAMA, e o InovaEdu - Laboratório de Ciência e Inovação para a Educação da Fundação IMED.

A iniciativa desenvolve o pensamento computacional por meio de práticas de programação de computadores, com foco em estudantes de escolas públicas, de 4º ao 9º anos do ensino fundamental, apoiando no desenvolvimento de metodologias ativas, materiais didáticos, instrumentos de análise de resultados e pesquisa aplicada à educação.

São 28 municípios parceiros do Programa, que entendem a necessidade de investir em equipamentos e formação de professores para atingir resultados significativos na comunidade. 

Em cidades como Sertão e Passo Fundo, o LetProg é executado como componente curricular nas escolas municipais. Em Getúlio Vargas, mesmo ainda não seja componente curricular, o LetProg ressignificou o uso dos laboratórios de informática das escolas municipais e, pelos frutos do Programa, o município adquiriu novos equipamentos.

Na Associação Beneficente Santa Zita de Lucca, em Porto Alegre, o programa foi implantado em maio de 2021 e já formou 81 alunos no extraclasse. Atualmente são 148 crianças na Educação Infantil e com 98 estudantes do Ensino Fundamental participando do Programa. 

“Como a Instituição está localizada em um bairro vulnerável, muitos estudantes vêm desta realidade, distantes do mundo da tecnologia educacional, possuindo mais acesso aos celulares e redes sociais”, conta a Coordenadora Pedagógica Extraclasse da Associação, Nara dos Anjos.

O Programa foi apresentado às famílias na avaliação do ano letivo de 2021, evidenciado pelos projetos dos estudantes na Feira de Projetos realizada pela instituição. “Percebemos o reconhecimento e entusiasmo das famílias com os resultados obtidos das “aulas de computador” e relatos dos avanços de socialização e colaboração, tanto em casa, quanto na instituição”, destaca Nara. 

Segundo ela, os impactos do Programa foram constatados em todas as atividades da instituição, que perpassou até mesmo a programação: “O percurso do extra classe ao longo do ano passado foi de muito crescimento, aprendizado e desenvolvimento de vários aspectos, tais como cognitivos, emocionais e sociais. O LetProg trouxe pontos importantes para o desenvolvimento dos estudantes que ampliaram seus horizontes e construíram novos saberes, tanto no mundo digital, quanto no mundo real. Compreenderam a importância da colaboração e de compartilhar saberes e experiências, além disso, puderam exercitar muito o seu raciocínio lógico, desenvolvendo atividades que exigiam resolução de problemas e um pensamento crítico e curioso”, enfatiza. 

Os bons resultados foram percebidos pela equipe diretiva da instituição, que conseguiu a instalação de computadores para cada educador em sala de aula, agilizando e aproximando a tecnologia destes ambientes. “Este ano, com mais conhecimento e uma melhor estrutura física, esperamos um impacto ainda maior nos estudantes de nossa instituição”, finaliza a coordenadora pedagógica. 

Outro município que investiu em equipamentos tecnológicos para o Programa foi Nova Santa Rita, cidade da região Metropolitana de Porto Alegre. 

A coordenadora municipal do LetProg, Adriana Jaqueline Guglieri, conta que o investimento fez com que os membros da Secretaria de Educação "perdessem o sono” com receio da ousadia, mas que já colhe os frutos. 

“O município implantou o programa em 2021 e em 2022 aumentou significativamente o número de escolas participando, sem contar o entusiasmo das professoras em aprender com a tecnologia para auxiliar seus estudantes”, destaca. 

As formações dos professores do LetProg acontecem mensalmente de forma remota, abordando conteúdos técnicos de programação, mas também competências socioemocionais, educação inclusiva e outros temas relacionados. Já as atividades com os estudantes acontecem nas respectivas escolas presencialmente, multiplicando o conhecimento do LetProg para toda a comunidade escolar.

Por: Eduarda Perin


Outubro e novembro foram meses de comemoração, com as formaturas do LetProg
Diversas cidades e entidades de educação participaram dos eventos ocorridos nestes meses